sábado, outubro 02, 2004

A Outra

Nem só o que aparento eu gosto
Nem tudo que represento eu mostro
Existe a outra
Existe a outra
A que não se pinta
A que nunca brinca
A que obedece
A que envelhece
Pra que eu viva e cante todos os momentos
Pra que eu possa sempre enganar o tempo
Pra que eu possa sempre enganar…

Nem só o que aparento eu gosto
Nem tudo que represento eu mostro
Existe a outra
Existe a outra
A que gera os filhos
A que chora os rios
Que costura e borda
Faz comida, engorda
Pra que eu te afague com essas mãos macias
Pra que eu te entregue meus melhores dias
Existe a outra
Existe a outra
A que se dedica
Que se sacrifica
Pra que eu exista
Pra que eu seja artista
Pra que eu conheça todas as delícias
Pra que eu mereça todas as carícias
Existe a outra Existe a outra
(Ivan Lins / Vitor Martins)

Um comentário:

Anônimo disse...

Oi Fe.

Gostei muito mesmo deste texto que vc postou. Realmente faz a gente refletir bastante sobre nós mesmos. Depois de ler isso eu realmente me pergunto se cada pessoa não é duas na verdade. Gostei mesmo. E o seu texto também ficou ótimo, completou muito bem o poema, parabéns menina. Você realmente conseguiu me fazer pensar agora.
Bjs e um grande abraço.
Leandro Flores