segunda-feira, novembro 15, 2004

Chorarei quanto for preciso

Canção
"Pus o meu sonho num navio
E o navio em cima do mar;
- depois abri o mar com as mãos,
para meu sonho naufragar.

Minhas mãos ainda estão molhadas
do azul das ondas entreabertas,
e a cor que escorre dos meus dedos
colore as areias desertas.


O vento vem vindo de longe,
noite se curva de frio;
debaixo da água vai morrendo
meu sonho, dentro de um navio...

Chorarei quanto for preciso,
para fazer com que o mar cresça,
e o meu navio chegue ao fundo
e o meu sonho desapareça.


Depois, tudo estará perfeito:
praia lisa, águas ordenadas,
meus olhos secos como pedras
e as minhas duas mãos quebradas."
(Cecilia Meireles)


Leandro Flores postando:
A Fernanda tá com uns problemas na máquina dela e então me pediu pra postar o texto pra ela. Como ela me cedeu a honra de comentar ele aki, eu resolvi pegar uma parte de um texto q eu já tinha escrito pq acho q tem um pouco de contradição com o texto que ela escolheu....e por sinal com muito bom gosto a escolha.
Um grande abraço pra vc Fer, meu coment já fica aki msm.

"Eu penso que devemos ter sonhos na vida,
mas não viver em um sonho.
Eu já não tenho mais discernimento entre os meus sonhos e desejos.
Espero não estar vivendo em um sonho...
mas não abandono os sonhos que estou vivendo."

Um comentário:

Anônimo disse...

Eu amo de paixão aquele poema que vc postou dia 29/10... lindo, lindo, lindo...

Esse de hj tbm eh lindo, mas nem tanto pq nao eh seu.... =)))

Se cuida, querida...
Até sexta... =PP
Bejos..