sexta-feira, novembro 24, 2006

Agonia



Se fosse resolver
iria te dizer
foi minha agonia
Se eu tentasse entender
por mais que eu me esforçasse
eu não conseguiria
E aqui no coração
eu sei que vou morrer
Um pouco a cada dia
E sem que se perceba
A gente se encontra
Pra uma outra folia
Eu vou pensar que é festa
Vou dançar, cantar
é minha garantia
E vou contagiar diversos corações
com minha euforia
E a amargura e o tempo
vão deixar meu corpo,
minha alma vazia
E sem que se perceba a gente se encontra
pra uma outra folia
(Oswaldo Montenegro)

segunda-feira, novembro 13, 2006

Mesmo Assim

Nem sempre se pode sonhar
Com aquilo que não se pode ter
Mas que regra mais idiota
Pois quando a gente sonha
É exatamente com o que não temos
E quase sempre
Com o que mais queremos

E o meu controlador de sonhos
Anda meio encabulado
Eu quis tantas coisas esse ano
Mas quase tudo ficou jogado
Às traças do meu coração
Que esconde sonhos irrealizados

Mesmo assim eu não esqueço
As promessas que eu fiz para mim
Não quero me desapontar
Mesmo assim eu não me canso de querer
O que é bom pra mim

E quando menos se percebe
O tempo passa como febre
E aquele sonho que parecia
Tão jovem e moderno
Não passa de um retrato na lembrança
Não passa de um desejo de criança
E como fruta que amadurece
E necessita de alguém que coma
A sua polpa que por dentro cresce
Lhe dando corpo e aroma
Os sonhos também apodrecem
Se com o tempo ninguém os reclama

Mesmo assim eu não esqueço
As promessas que eu fiz para mim
Não quero me desapontar
Mesmo assim eu não me canso de querer
O que é bom pra mim

Não importa se ficar
Como algo que ficou
Para se realizar
Mas não vingou
(Biquini Cavadão)

sábado, novembro 11, 2006

Deixa eu brincar de ser feliz

Todo Carnaval Tem Seu Fim

Todo dia um ninguém josé acorda já deitado
Todo dia ainda de pé o zé dorme acordado
Todo dia o dia não quer raiar o sol do dia
Toda trilha é andada com a fé de quem crê no ditado
De que o dia insiste em nascer
Mas o dia insiste em nascer
Pra ver deitar o novo.

Toda rosa é rosa por que assim ela é chamada
Toda Bossa é nova e você não liga se é usada
Todo o carnaval tem seu fim
Todo o carnaval tem seu fim
E é o fim, e é o fim

Deixa eu brincar de ser feliz,
Deixa eu pintar o meu nariz

Toda banda tem um tarol, quem sabe eu não toco
Todo samba tem um refrão pra levantar o bloco
Toda escolha é feita por quem acorda já deitado
Toda folha elege um alguém que mora logo ao lado
E pinta o estandarte de azul
E põe suas estrelas no azul
Pra que mudar?

Deixa eu brincar de ser feliz,
Deixa eu pintar o meu nariz

Adeus Você

Adeus você

Eu hoje vou pro lado de lá
Eu tô levando tudo de mim
Que é pra não ter razão pra chorar
Vê se te alimenta
E não pensa que eu fui por não te amar

Cuida do teu
Pra que ninguém te jogue no chão
Procure dividir-se em alguém
Procure-me em qualquer confusão
Levanta e te sustenta
E não pensa que eu fui por não te amar

Quero ver você maior, meu bem
Pra que minha vida siga adiante

Adeus você
Não venha mais me negacear
Teu choro não me faz desistir
Teu riso não me faz reclinar
Acalma essa tormenta
E se agüenta, que eu vou pro meu lugar

É bom...
Às vezes se perder
Sem ter porque
Sem ter razão
É um dom...
Saber envaidecer
Por si
Saber mudar de tom

Quero não saber de cor, também
Pra que minha vida siga adiante
(Los Hermanos)

Tristesse


Como você pode pedir
Pra eu falar do nosso amor
Que foi tão forte e ainda é
Mas cada um se foi
Quanta saudade brilha em mim
Se cada sonho é seu
Virou história em sua vida
Mas prá mim não morreu
Lembra, lembra, lembra, cada instante que passou
De cada perigo, da audácia do temor
Que sobrevivemos que cobrimos de emoção
Volta a pensar então
Sinto, penso, espero, fico tenso toda vez
Que nos encontramos, nos olhamos sem viver
Pára de fingir que não sou parte do seu mundo
Volta a pensar então
Como você pode pedir...
(Maria Rita)

sexta-feira, novembro 10, 2006

Demais Pra Esquecer

Como vai?
eu não sei se você
pôde esquecer
no meio
começo e fim
tudo vale a pena
sem você
eu não sabia viver
não vá pensando, não
que tudo é pra sempre
você quis assim
chegou sem avisar

Agora lembrei
quase tudo o que marcou
mas cresci e mudei
pra não mais sofrer e viver
você sabe que é assim
o mundo gira, gira
e vem você voltar atrás
pra me dizer
que me perder
já foi longe, longe
demais pra esquecer
demais pra esquecer ...
(Patricia Marx)

quinta-feira, novembro 09, 2006

Destino

Sempre viajo numa canção
Numa emoção
não sei qual o meu destino
Pede passagem meu coração
Sem direção
e assim vou no trem da ilusão
Que já não quer
mais os trilhos
porque quer voar
e sabe que pra se achar
é preciso sonhar
Será que o meu destino
é te amar
ou será viajar
nas palavras de amor
que eu cantar
Será que minha vida
é você
ou que pra me encontrar
tenho que te perder
Nesse horizonte
blues sobre blues
Tudo seduz
nem sei qual o meu destino
Pede passagem meu coração
outra paixão
e assim dividida que eu vou
entre viver pra você
Vou te deixar pra viver
porque pro corpo gostar
basta agente sonhar
Será que o meu destino
é te amar
ou será viajar
nas palavras de amor
que eu cantar
Será que minha vida
é você
ou que pra me encontrar
tenho que te perder

Nesse horizonte
blues sobre blues
Tudo seduz
nem sei qual o meu destino
Pede passagem meu coração
outra paixão
e assim dividida que eu vou
entre viver pra você
ou te deixar pra viver
porque pro corpo gostar
basta agente sonhar
Será que o meu destino
é te amar
ou será viajar
nas palavras de amor
que eu cantar
Será que minha vida
é você
ou que pra me encontrar
tenho que te perder
Será que o meu destino
é te amar
ou será viajar
nas palavras de amor
que eu cantar
Será que minha vida
é você
ou que pra me encontrar
tenho que te perder
(Patricia Marx)

quarta-feira, novembro 08, 2006

Para Veronica


Acalanto
Pulsa dentro aqui no ventre
O meu rebento que eu nunca tive
Vive preso ao meu desejo
De concebê-lo tão calmo e livre

Sonho enquanto eu canto esse acalanto
Que o faz ninar
Durma que está escuro
Não tá seguro pra se acordar

Tenho pressa que o mundo mude de atitude
Pra recebê-lo
Por enquanto arrumo o quarto
Adio o parto para protégé-lo
(Ivan Lins\Vitor Martins)

terça-feira, novembro 07, 2006

Acaba


 O dia acaba com a noite
A cana acaba com a foice
Escravo acaba com açoite
Ficando acaba com o foi-se

Namoro acaba com solidão
A fome acaba com o pão
Desejo acaba com masturbação
O sim acaba com o não

Acaba

Pecado acaba com a Eva
A calma acaba com a pressa
Vizinho acaba com a festa
O desfecho acaba com a peça

Idade média acaba com o gato
O primeiro acaba com segundo ato
O silêncio acaba com o papo
Queimadura acaba com o tato

Acaba

O domingo acaba com trabalho
O trabalho acaba com descanso
O descanso acaba com o tédio
O tédio acaba com o domingo

Tudo acaba em gravidez
Gravidez acaba com menstruação
Menstruação acaba com TPM
TPM acaba com tudo

Acaba

O sorriso acaba com o pranto
O roco acaba com o canto
A raiva acaba com o manso
O jogo acaba com o manco

A pele acaba com o corte
O fraco acaba com o forte
O azar acaba com a sorte
A vida acaba com a morte

Acaba
Acaba de acabar
Mas e depois?
O que começa quando acaba?
(Lênio Mendes)