terça-feira, junho 19, 2007

Ainda ontem pensava que não era


Ainda ontem pensava que não era

mais do que um fragmento trémulo sem ritmo

na esfera da vida.

Hoje sei que sou eu a esfera,

e a vida inteira em fragmentos rítmicos move-se em mim.


Eles dizem-me no seu despertar:

" Tu e o mundo em que vives não passais de um grão de areia

sobre a margem infinita

de um mar infinito."


E no meu sonho eu respondo-lhes:


"Eu sou o mar infinito,

e todos os mundos não passam de grãos de areia

sobre a minha margem."


Só uma vez fiquei mudo.

Foi quando um homem me perguntou:

"Quem és tu?"


(Kahlil Gibran)


2 comentários:

Fernanda disse...

Tadinho, tá tao abandonado...

leandroflores disse...

Oe Fer.

Desculpaaa ter sumido, felizmente a gnte já conversou sobre isso hj...rs.

Pow, vc postou várias vezes desde a ultima vez que eu passei por aki, ótimos textos por sinal, mas este ultimo está divino. Esse Kahlil Gibran escreve muito bem, o estilo dele me é muito familiar, eu me identifiquei...rs. Parabéns pelo ótimo gosto como sempre.

Um grande abraço pra tih qrida.